Hora de dar um final para Life is Strange

E esse é meu ultimo post para essa pequena série do blog de 5 episódios sobre Max.

Episódio 5: Polarized

Max acorda após a droga que Jefferson usou nela começa a perder o efeito. Ela se vê amarrada pelos pés e mãos no quarto escuro e Victoria se encontra no quarto com ela, ainda dopada e amarrada no chão. Após Jefferson usar Max como modelo e também confessar que Nathan está morto e que ele foi apenas uma distração dentro desse segredo, Max consegue fazer com que Jefferson pegue o álbum de fotografia dela e assim conseguindo voltar no tempo exatamente no dia em que tira uma self na aula do professor psicopata.

Assim que ela se vê novamente na aula de Jefferson, Max logo trata de enviar uma mensagem de texto para David torcendo para que ele acredite nela e vá atras de Jefferson em seu quarto escuro o mais rápido possível. Max nessa linha de tempo entrega sua foto para o concurso “Heróis do Cotidiano”. Logo Jefferson é preso e Max acorda em um avião que está a caminho de São Francisco, quem a acompanha é o diretor Wells. Max fica aliviada em saber que tinha finalmente conseguido que tudo ficasse bem, finalmente Arcadia Bay estava segura! Chegando na Galeria, Max conversa com o diretor Wells que a aconselha a dar uma volta e aproveitar para conhecer as outras pessoas. Chegando na frente de sua fotografia, Max começa a ter muita dor de cabeça e uma visão da tempestade com Chloe berrando por ela. Max então decide sentar-se e olhar seu telefone. Ela fica desesperada por perceber que seu celular estava no silencioso e que havia 6 chamas perdidas de Chloe. Quando retorna a ligação, Chloe diz que sua visão era verdadeira e que o tornado estava chegando. A única coisa que ela pensa em fazer, é voltar para a sua foto na galeria e voltar de novo no tempo. De volta no seu quarto na hora em que tira a fotografia, ela decide rasgar a foto para não ter nem chance de participar do concurso e evitar que a linha de tempo de São Francisco se repita.  “Desculpe, São Francisco … Chloe vem em primeiro lugar.”

E novamente ela acaba indo parar no quarto escuro.

Dessa vez Max está sozinha no quarto, Victória também acaba sendo morta por Jefferson e por isso ela não está ali. Antes que Jefferson a mate com uma overdose, Max ouve um barulho e felizmente é  David. Nesse momento é preciso voltar no tempo algumas vezes para fazer com que David não seja morto por Jefferson, até chega o momento em que o professor é derrubado e fica inconsciente, e assim David consegue libertar Max. A primeira pergunta de David é saber onde está Chloe e Max decide mentir para ele sobre Jefferson a ter matado.

De repente, Max vê uma forma de salvar Chloe, com a foto que ela tirou com Warren na festa do Fim do Mundo. Max pega as chaves do carro de Jefferson e telefona para Warren perguntando se ele ainda possui a foto. Sabendo que Warren ainda a tem e que ele está na lanchonete, ela decide ir até lá mesmo com toda a tempestade chegando e a cidade um caos. Após perceber que o caminho para chegar ao restaurante está bloqueada, ela não tem escolha a não ser deixar o carro e caminhando até lá.

 

No caminho Max vê as pessoas mancando e correndo ao seu redor. Max então ajuda um caminhoneiro, um aluno da universidade e Alyssa (que pelamordedeus tem um azar gigantesco sempre). Tentei salvar o pescador que estava preso em um prédio, mas eu simplesmente não vi a possibilidade de salva-lo. Max se aproxima da lanchonete e tem um rastro de gasolina vindo de um carro, ela precisa então voltar no tempo e não deixar que o combustível se alastre utilizando um pouco de areia próxima. Max entra na lanchonete, e lá ela encontra Joyce cuidando de Frank que está ferido, Warren está no balcão e Pompidou, cachorro de Frank, também está lá. Warren fica aliviado ao ver Max, e depois de conversarem ele entrega a foto para ela. Max tem a chance de beijar Warren e assim ela faz.

Voltando no tempo através da foto, Max está na Festa do Fim do Mundo com Warren e Chloe a seu lado. Max abraça muito Chloe e conversa com ela sobre tudo que aconteceu. Max diz que ela está “com medo que eu esteja fodendo todas as realidades alternativas”. Chloe fica apreensiva e escuta Max dizer como fez de tudo para tentar mante-la viva e o pai dela também. Max diz a Chloe que Nathan está morto e Jefferson a feriu, mas que David conseguiu salvá-la. Chloe diz a Max que ela acredita e Max e fala que em alguns minutos ela não vai se lembrar de nenhuma dessas conversas, então Chloe tem que garantir que ambas voltem para seu quarto e não façam absolutamente nada, que elas expliquem tudo para David, e deixem que ele lide com as coisas sobre Jefferson e o Quarto Escuro. Enquanto elas saem juntas da festa, a linha do tempo muda novamente.

 

 

Max está na praia com Chloe, que explica a amiga tudo que as levaram até lá. Ela diz a Max que elas tinham saído da festa para evitar Jefferson, exatamente como tinham combinado, e então a tempestade ficou louca e Max disse que eles estariam seguras no farol (*louca*). Quando elas começam a subir o penhasco juntas, Max desmaia e acorda na aula do Sr. Jefferson de novo. Dessa vez tem algo muito errado, ela vê sangue dos pássaros espirrar nas janelas da sala de aula. Quando as janelas estão completamente cobertas de sangue, todos na sala de aula desaparecem e Max se vê sozinha. Max vê “Eu quero morrer” escrito por toda a mesa de Kate. Max olha para fora e vê pássaros mortos espalhados pelo campus. As fotos da sala de aula são versões distorcidas do que já foram, como a imagem do farol que agora é destruído por uma tempestade.

A partir desse momento a história me fez entrar em parafuso. Tudo fica confuso e distorcido. Em um momento Max esta na sala de aula e quando sai de lá ela esta no corredor do seu dormitório. Quando ela abre as portas dos dormitórios em vez de estar no quarto, ela volta para o inicio do corredor. Depois de encontrar uma chave, ela abre a porta e volta para o corredor usando as roupas de Rachel, em outro momento ela se vê sendo a Victória e depois novamente sendo ela mesma. Essa parte da história/jogo me deixou desconfortável, eu só queria sair dali. Em seguida ela entra no seu próprio quarto e então se vê no mesmo momento em que o jogo se iniciou lá no primeiro episódio. Pondo os fones de ouvido e tals, a única pequena/extrema diferença, é que tudo está andando de trás para frente (menos Max). Outro momento de desconforto pra mim.
Max vai até o banheiro feminino como no inicio do jogo e então ela se vê em um labirinto. Meu sentimento era que isso tudo acabasse, eu me arrastei para ir em frente no jogo. Nessa parte, ela passa por vários colegas e pelo professor Jefferson e o diretor também. Estão todos procurando por Max com lanternas e é preciso não deixar que eles a peguem (me cansei disso). Passando por todos, Max finalmente consegue chegar ao farol desse mundo esquisito. Ao chegar la, ela se senta no banco e então ela se vê presa dentro do globo de neve que estava em cima da lareira da casa de Chloe (exatamente no dia em que William morreu), ela consegue se ver queimando a foto na lareira e então do nada ela esta amarrado na cadeira dentro do quarto escuro. Começa a acontecer várias versões do que poderia ter acontecido, com várias versões de pessoas próximas a ela reagindo aquilo. Então Max vê Chloe da linha de tempo alternativa onde ela está tetraplégica. Chloe finaliza um diálogo dizendo a ela: “Eu gostaria que você nunca tivesse voltado para Arcadia Bay … Você é a verdadeira tempestade.”
De repente, Max se encontra trancada no banheiro do restaurante, as paredes estão cheia de códigos, onde apenas um é o correto para ela sair dali. Conseguindo sair, ela encontra versões imóveis de todos de Arcadia Bay e todos imploram a Max que não os deixe morrer. Max percebe que ela também está entre a multidão de pessoas e caminha para si mesma. Essa “Outra Max” é a única pessoa que não é uma “estatua”. As duas Max tem uma conversa, onde a Max alternativa repreende a outra Max pelas suas ações de voltar no tempo. Eu comecei a ficar de saco cheio de tantas idas e vindas, foi exaustivo. Esse ultimo episódio começou a se tornar um inferno, enfim. Max de repente aparece dentro de uma rua de memórias que ela teve com Chloe ao longo da semana. Quando ela chega ao fim, ela vê o farol e caminha em direção a ele. Isso faz Max acordar dessa loucura toda e está nos braços de Chloe em frente ao farol. Elas olham a tempestade se aproximando da cidade, e Max diz a Chloe que ela que causou tudo isso. Chloe então percebe que o motivo é porque Max a salvou no incio da semana de ser morta por Nathan. Chloe então entrega a Max a foto da borboleta que ela bateu no banheiro antes de salva-la, ela diz que é a única maneira de salvar tudo. Ai chega a pior decisão de todas. É preciso escolher ente sacrifique Chloe e salvar a cidade ou sacrificar a cidade e salvar Chloe.
Fiquei ali pensando então. Depois de passar tanta raiva nos momentos anteriores eu ainda preciso tomar uma decisão que de qualquer maneira seria um pouco egoísta. Mas então eu decidi sacrificar Chloe, decidi não brincar de “Deus”. As consequências que Chloe teve, foram por causa de suas ações e eu também não podia matar uma cidade toda apenas pelo motivo de EU querer que minha melhor amiga ficasse viva. Percebi que sacrificando a cidade seria muito mais egoísta que sacrificar a Chloe.
Depois de um longo abraço, Max então usa seus poderes através da foto da borboleta e se vê novamente no banheiro. Ela revê toda a história se repetindo como no primeiro dia, Nathan atira em Chloe enquanto ela senta no chão, chorando em silêncio. Não aparece nenhum sinal de tempestade. Depois de um tempo do que aconteceu, Max vai até o farol para ver pôr do sol, apos a contemplação ela vai até o cemitério para o enterro de Chloe. Ao seu lado estão a Joyce, David, Warren e outros estudantes. Quando a câmera se afasta podemos ver que até Frank e Pompidou estão lá. Então uma borboleta azul desce do céu para pousar no caixão, e Max se vê sorrindo.
Minhas considerações finais:
Esse episódio foi cansativo, estressante e cansativo novamente. Tive vontade de parar em muitos momentos, infelizmente. Sobre o jogo em geral, ele é bom, conta uma história também boa e faz a gente perceber sobre nossos ideais, valores e tudo mais. Se você não tem saco para atitudes e o mundo adolescente, não jogue o jogo. Eu consegui de alguma forma ignorar muitas coisas que considero infantis e muito irritantes, só assim pude ir em frente.

Deixe uma resposta